acroyoga1

O Yôga é uma prática criada há mais de 4.000 a.C. e tem se tornado cada vez mais popular, mas você já ouviu falar em Acro Yôga? Imagina juntar as posições, o equilíbrio, a respiração e a concentração do Yôga tradicional com acrobacias? Pois é assim que funciona essa nova vertente.

O Acro Yôga proporciona uma interação, comunicação, interatividade e espírito de equipe, pois pode ser praticado em dupla ou em grupo. As acrobacias são executadas, geralmente, com a base, pessoa que fornece os suportes para os movimentos; e o ‘voador’, que é quem executa os movimentos fora do chão.

Segundo a professora Amanda Carvalho Retz, a nova técnica pode ser praticada por qualquer pessoa: “mesmo quem não pratica Yôga é capaz de praticar Acro Yôga, só depende da disposição e do comprometimento. Existem posições e passagens que são simples e outras que são bem avançadas; basta praticar para conquistar”, explica.

Aqui em Bauru já existem muitos adeptos do Acro Yôga, como o casal André Luis dos Santos e Marcela Vallino dos Santos, que, apesar de nunca terem feito o Yôga, começaram praticar a nova vertente há nove meses. Quem teve a ideia foi André que influenciou Marcela: “eu odeio ir à academia, prefiro praticar lutas, calistenia, treinos funcionais e etc. Então vi a oportunidade de me exercitar e nos divertir ao mesmo tempo, praticando um esporte juntos!”, conta André.

Assim como a prática tradicional, o Acro Yoga traz muitos benefícios, não só para o corpo, como para a mente. “Desde a conquista de um corpo mais harmonioso (mais forte e flexível) a um equilíbrio fantástico, e administração da mente. O trabalho com a confiança do praticante também é um fator importante nas conquistas com o Acro Yôga”, afirma Amanda.

Se para o André, um ponto positivo na prática da técnica foi aprender a ter paciência, para Marcela, as conquistas foram outras: “Eu sempre tive medo de altura. O Acro me ajudou com esses medos. Até estive pensando em como era quando entrei e como estou atualmente durante as aulas. Apesar de ainda ter medo, já estou bem mais corajosa!”, declara.

Ao olhar tantas acrobacias e movimentos, em um primeiro momento o Acro Yôga pode parecer difícil, mas a melhor forma de aprender é praticando e para isso é necessário escutar o corpo e respeitar os limites.

“Como todo esporte, é uma questão de prática. As pessoas quando buscam, encontram logo de cara movimentos muito avançados, onde a pessoa tem muito tempo de prática e acabam se assustando”, evidencia André.

Se você se interessou pelo Acro Yôga, mas ainda tem receio de praticar, aqui vão dicas de três pessoas que entendem do assunto:

“Geralmente sentimos medo do desconhecido. Para quem tem medo de praticar acro Yôga aconselho a conhecer esta modalidade. São os desafios que geram grandes conquistas” – Amanda Retz, Instrutora de Acro Yôga.

“Só vá. Não fique tentando adivinhar se você vai gostar das aulas ou conseguir, apenas pelo que mostram nos vídeos e nas fotos de outras pessoas. E não faça apenas a aula experimental antes de decidir se consegue ou não. Uma aula é muito pouco para entender o seu corpo e a capacidade que ele tem!” – Marcela Vallino dos Santos, praticante do Acro Yôga.

“Divirtam-se muito, é um esporte muito bom, aproxima as pessoas, sejam amigos ou casais. E nunca digam: ‘EU NÃO CONSIGO’. Afinal, vocês estão ali para evoluir!” – André Luis dos Santos, praticante de Acro Yôga.